Equipe Terapêutica
 

O trabalho da equipe terapêutica na Creche Especial Maria Claro é fundamental para o pleno desenvolvimento e bem estar de todas as crianças e adolescentes com deficiência, atendidos pela entidade.

Tem como objetivo promover a reabilitação e habilitação por meio de intervenções e assistência qualificada e cada vez mais especializada com novas técnicas e equipamentos da tecnologia assistiva.

Toda proposta de atuação tem como base a intervenção técnica aliada ao amor, compromisso e responsabilidade.

A equipe multidisciplinar da Creche Especial Maria Claro é composta por:

Diretoria, Coordenação Pedagógica e da Saúde, médico pediatra (voluntário), técnica de enfermagem, psicóloga, fisioterapeutas, hidroterapeuta, terapeuta ocupacional, fonoaudióloga, nutricionista (voluntária), pedagoga, assistente social, professor de música, professor de educação física e professora de artes.

Os profissionais da equipe terapêutica realizam atendimentos semanais individuais e/ou em grupo com os assistidos da entidade, em salas apropriadas com equipamentos adequados. Realizam supervisão e orientação nos trabalhos desenvolvidos em sala e reuniões com a família para orientações visando a integração família e entidade, potencializando o desenvolvimento das nossas crianças e adolescentes.

 

Diretoria
Diretor Presidente - Carlos Kiva Janovitch
Diretor Vice Presidente - Lilia Antunes de Lemos Grosso
Diretor Social - Danilo Calderon Ferreira
Diretora Secretário - Gláucio Celso Luz
Diretor Administrativo Financeiro - Sonia Martinez de Oliveira
Diretor Operacional - José Francisco Benites Calderon


Coordenação da Saúde e Coordenção Pedagógica
Responsáveis pelo planejamento, coordenação e supervisão dos atendimentos realizados pela equipe terapêutica, supervisão e acompanhamento dos estagiários vinculados ao atendimento terapêutico, acompanhamento e implantação dos projetos e atividades desenvolvidas nas salas, organização e planejamento de atividades diversificadas, apresentações, reuniões, visitas, passeios, comemorações, dentre outros. Elaboração e implantação de novos projetos visando à melhoria dos trabalhos da Instituição.

Médico Pediatra (voluntário):
O médico pediatra, Dr. Carlos Alberto Lazar, realiza voluntariamente atendimentos semanais na entidade, onde avalia, acompanha o quadro clínico, solicita exames e realiza encaminhamentos para médicos especialistas.

Contamos com a sua assessoria nos procedimentos necessários na área da saúde.Orienta-nos quanto a encaminhamentos, cuidados básicos e com medicamentos, realiza intervenções e/ou afastamentos sempre que julga necessário e fornece-nos todo respaldo para promovermos um atendimento de qualidade e com segurança à nossos assistidos.

Técnica de Enfermagem:
Para acompanhamento do quadro clínico, diariamente, a técnica de enfermagem avalia as crianças e adolescentes, supervisiona a administração de medicamentos, afere a pressão arterial, verifica a temperatura e quando necessário realiza encaminhamentos para avaliação clínica ou de especialista.


Nutricionista (voluntária):
A nutricionista realiza atendimentos quinzenais, quando é feito acompanhamento do estado nutricional, realizando intervenções quando necessário. Para isso, são feitos planejamentos de cardápio e prescrição de dietas enterais e de alimentação infantil e/ou suplementar.

 

Serviço Social:
Os atendimentos deste setor são destinados ao acompanhamento social dos familiares e responsáveis das crianças e adolescentes atendidos pela Creche Especial Maria Claro, são realizados através de agendamento e solicitação de comparecimento ou conforme a demanda apresentada.


Atendimento Familiar:

- Estudo socioeconômico no intuito de conhecer a situação socioeconômica familiar para um melhor acompanhamento do caso;
- Realização de grupos de orientação com familiares sobre assuntos relacionados com a realidade apresentada;
- Encaminhamento a rede de serviços, conforme a necessidade;
- Orientações sobre assuntos pertinentes, quando solicitados;
- Contato com familiares, quando necessário.

Visitas Domiciliares:

Objetivos:

- Conhecimento da realidade social e econômica das famílias;
- Orientação social.

Contato com a rede de serviços e parceiros:

Objetivos:

- Encaminhamento para os recursos da comunidade;
- Mediar atendimento ou facilitar o acesso das famílias a ele
.

 

Fisioterapeuta:
Visa a reabilitação motora e/ou respiratória, de acordo com a necessidade do paciente.

- Fisioterapia respiratória: é realizada em crianças que apresentam complicações pulmonares decorrentes da patologia, visando a higiene brônquica, manutenção da permeabilidade das vias aéreas superiores e melhora mecânica respiratória.

- Fisioterapia motora: visa a estimulação do desenvolvimento neuropsicomotor, prevenção de deformidades e encurtamentos, aquisições das etapas motoras, prescrição de auxílios complementares quando indicado, além de orientações aos familiares.


Hidroterapia:

A A hidroterapia tem duração de 30 minutos, sendo realizada uma vez por semana. Os atendimentos são realizados individualmente em piscina coberta e aquecida a mais ou menos 33ºC.

Esse tratamento, baseado nos princípios da água, permite uma maior amplitude de movimentos , possibilitando trabalhar grandes grupos musculares em diferentes planos e eixos, conduta difícil no solo, em alguns casos clínicos.

Além de melhorar as ações osteoarticulares e musculares, a água beneficia o alívio da dor, a adequação do tônus muscular, a consciência corporal, o equilíbrio e a estabilidade do tronco.

 

Terapeuta Ocupacional:
São realizados atendimentos, individuais ou em grupos, orientações aos pais, familiares ou responsáveis, bem como para as monitoras quanto aos procedimentos que podem ser adotados no processo de reabilitação e qualidade de vida das crianças atendidas.

Esses procedimentos se referem à:

- Manutenção e facilitação do posicionamento (estático e dinâmico);
- Estimulação do desenvolvimento neuropsicomotor, (através da utilização de Bobath, estimulação Visual e Proprioceptiva, entre outros);
- Adequação de mobiliários (cadeira de rodas, mesas, cadeira de banho, entre outros);
- Adaptações de materiais e recursos terapêuticos (talheres, lápis, caderno, instrumentos, jogos e brinquedos em geral)
- Estímulo a realização das Atividades de Vida Diária (AVD) e Práticas (AVP)

- Utilização e confecção de recursos da Tecnologia Assistiva, comunicação alternativa (PCS), aumentativa e utensílios (dispositivos auxiliares que facilitem a execução das atividades);
- Melhora da função manual, estímulo da coordenação motora fina e global, força e destreza manual;
- Prevenção de disfunções, deformidades e incapacidades;
- Estimulação e reforço das habilidades, proporcionando às crianças maior autonomia e adaptação ambiental, familiar e social.
- prescrição e adequação de órteses para membros superiores


Fonoaudióloga:

O trabalho fonoaudiológico na Entidade visa dois aspectos: a alimentação e a linguagem. Quanto a alimentação o objetivo é atingir um padrão de deglutição mais seguro e funcional aos pacientes. Esse trabalho é realizado adequando-se as funções estomatognáticas de sucção, mastigação, deglutição e respiração por meio da estimulação do sistema sensório-motor-oral (SSMO).

Quanto à linguagem, o objetivo é estimular as diferentes formas de comunicação dentro da possibilidade de cada atendido, afim de que ele possa expressar de alguma forma. Utilização da comunicação alternativa e desenvolvimento da linguagem oral.

Garantir consistência adequada e segura da alimentação, além de orientar as monitoras quanto ao posicionamento e manobras facilitadoras durante oferta do alimento, favorecendo a deglutição funcional e segura.


Psicóloga:
1. Atendimento terapêutico à criança e ao adolescente e às famílias, visando desenvolvimento de suas potencialidades e estimular:

- O despertar e a apropriação das próprias potencialidades
- A autoestima
- A capacidade de tolerar frustrações
- O adequado convívio social
- Os valores éticos
- A capacidade de fazer escolhas e a iniciativa
- A capacidade de lidar satisfatoriamente com os próprios sentimentos
- O autocontrole
- A organização do pensamento

2. Orientação à família visando a real aceitação da deficiência, a expressão e a elaboração de seus medos e de suas dores e a aquisição de condutas que favoreçam o pleno desenvolvimento de seu filho (a)


Pedagogia:

São realizados atendimentos individuais e/ou em grupo visando o desenvolvimento cognitivo, sócioafetivo e psicomotor, alfabetização e acompanhamento dos alunos na Inclusão escolar.

Os atendimentos são realizados em uma brinquedoteca por meio de atividades lúdicas. E também são estimuladas através do trabalho de expressão corporal utilizando a dança e o teatro.

 

Aulas de Música:
A música é trabalhada com o objetivo de colaborar com o processo de desenvolvimento, a melhora da sua autoestima, a capacidade de organização, a responsabilidade, valor ao próximo, a criatividade e superação de limites.

São realizadas aulas de teclado, bateria, flauta-doce, coral-canto, musicalização infantil, quando trabalha a melodia (notas musicais, altura e leitura musical), o ritmo (figuras, contagem de tempos, exemplos práticos e dinâmicos), a percepção auditiva (identificação ou nota tocada).

Realizamos apresentações para escolas, empresas ou para visitas internas. Desta forma se concretiza tudo o que foi trabalhado e colabora para a Inclusão social.

 

Informática:
As crianças tem acesso à recursos tecnológicos adaptados (como mouses, tablets, tela touch, engrossadores e ponteiras de cabeça) e à jogos lúdicos, com recursos de imagem e sons que estimulam sua curiosidade e facilitam o a acesso à informações, potencializando a aprendizagem através da tecnologia assistiva.

 

 

Educação Artística:
São realizadas atividades para o desenvolvimento da coordenação motora e da criatividade,  promover a aprendizagem do meio ambiente  utilizando  aspectos  sensoriais,

cognitivos e perceptíveis da natureza real das coisas e fatos.

As crianças participam de uma oficina pré-profissionalizante de papel reciclado, onde entram em contato com o ofício da reciclagem. Desenvolvem atividades que vão desde a seleção do material; o corte manual do papel; confecção propriamente dita; a colagem do papel reciclado; e por fim a montagem de agendas, blocos, convites de casamento, lembrançinhas etc.